Muitos posts já li pela nossa blogosfera acerca do referendo em França no passado Domingo.
Muitas opiniões ouvi… muito latim foi gasto… e eu ainda não tinha usado o meu. Por isso aqui vai:

A opinião da doutora Ana Gomes no Causa Nossa suscitou mais reacções do que provavelmente mesmo ela esperaria… E em 99% dos casos, opiniões negativas.
Choveram raios e coriscos de todas as direcções sempre com o mesmo propósito: Afinal a França não tinha dito NON como medida de protesto a Chirac. Afinal os franceses são uns federalistas fantásticos que votaram NON porque não alinham na construção duma Europa assente num tratado vazio de conceitos de defesa dos direitos do cidadão. Afinal os franceses eram o exemplo que todos deviamos seguir.

Esqueceram-se de perguntar aos franceses o porquê de votar Non… Eu perguntei a um.
Conheço um Francês que, num fórum que frequento regularmente, dá pelo nome de Erton. É um socialista assumido, um tipo que parece saber do que fala. Um daqueles tipos com quem até conseguia ter uma conversa interessante quando deflagrou a situação iraquiana ou quando nos pusemos a discutir os prós e contras da reeleição de Blair.

Votou NON. Disse-lhe que se o referendo se tivesse realizado em Portugal, o meu voto teria sido o mesmo. Não por motivos nacionalistas, não por olhar para o meu umbigo, mas porque o documento de 349 páginas ao qual dei uma vista de olhos (não muito aprofundada porque o tempo não o tem permitido) é um texto completamente desprovido de conceitos relacionados com direitos civis. Trata-se de um mero pedaço de papel (de muito papel) onde se desenham linhas-mestre para uma política de consertação económica para uma luta que se prevê titânica com Washington e principalmente com Pequim.

Ele ripostou assim (a língua usada no fórum em questão é o Inglês):
“voted no as you guessed. Why ? just because of the govermenent doing what he wants, didn’t care at all what the people expressed by voting against them ( 4th time in a row !!! ).So here the “no” is more directed to the government itself, not against the constitution. “

Esta é a voz do povo francês. O voto no “não” não foi, como apregoaram a sete ventos na nossa blogosfera, um voto de sentido europeu. Não foi um voto de “eu quero Europa… não quero é esta Europa”. Foi um voto de não a Chirac. Foi um voto a olhar para o próprio umbigo.

Os franceses sabem-no melhor do que ninguém.

E enquanto redigia isto, passava os olhos no BRITEIROS e vi isto.
Curioso como um voto que “não é um veto a Chirac” desencadeia tal reacção…

Agora em tom mais jocoso, lembro-me de uma passagem de um dos maiores comediantes (na minha opinião o maior), num espectáculo de dado na Broadway em 2002 (hilariante do primeiro ao último segundo):

Robin Williams:

(pronúncia francesa)
“- We’rrre frrrench…. we don’t carrre…. ‘cause we’rrrre frrrench… fuck you amerrrricans… we’rrrre frrrrench… we don’t carrre…

(pausa)

zee germans arre herrre!!

Hello amerrricans!!!!Hello!!!!”

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Nota: Já agora, deixo aqui o link para quem quiser dar uma vista de olhos no Tratado de Constituição Europeia (em português)

There are currently no comments.