A 5 minutos de entrar em mais uma aula, andava eu a vaguear entre os links do blogroll aqui do lado, e encontro, provavelmente, o melhor post do mês. Melhor porquê, perguntam vocês? Porque retrata uma situação que já me tinha passado pela cabeça imensas vezes, mas a qual nunca consegui transpôr para um texto com a forma ideal. BJM conseguiu-o em 27 de Setembro no Being José Mourinho.

Aqui fica o plágio descarado (com violação de todos os tipos de direitos de autor daí inerentes…):

Acho Que Já Fiz Merda, Srª Enfermeira.
No dia 26 de Agosto de 2004, a cantora Laura Branigan faleceu vítima de um aneurisma. Esta notícia (chocante, diga-se) terá passado despercebida a muito boa gente, mas não a mim, que cresci a ouvir – e a dançar – temas como Gloria ou Self Control. Bem diferente é o destaque que, invariavelmente, é dado às operações efectuadas aos jogadores de futebol. A semana passada, por exemplo, após dias de amargura, ficámos a saber o resultado da operação cirúrgica ao Sokota, que se lesionara com gravidade no jogo de Glasgow. Sokota foi operado com sucesso! Os jornais deram a notícia, as televisões passaram a boa nova nos seus rodapés, a equipa médica, o jogador e a sua família estão de parabéns: Sokota foi operado com sucesso! Claro que também um sucesso haviam sido as operações ao Sá Pinto, ao Derlei, ao Nuno Valente, ao Beto, ao Cissé, ao Nuno Gomes, ao Robert Pires, ao Niculae, ao Ronaldo e a todos os jogadores de futebol que alguma vez passaram pelas mãos de um cirurgião. Todos menos o Mantorras.
O nível de sucesso das operações aos jogadores de futebol está, aparentemente, bem longe do que é obtido na remoção de um aneurisma cerebral, do transplante de um órgão de um dador ou da separação de siameses que partilham o torso. Mas ainda assim, todas as operações ao menisco, ao adutor, à rotura, ou outra maleita no campo desportivo vêm cá para fora com o inevitável rótulo de sucesso. A medicina é uma ciência que tenta ser exacta, e que sabemos que não é exacta, por isso, um dia, só para variar, sempre gostava de ler qualquer coisa como:
“Operação a Sokota foi um fracasso. Na sequência da lesão contraída no joelho, o avançado Sokota submeteu-se a uma operação que, infelizmente, não correu como era esperado. Apesar de a prática da artroscopia estar hoje bem estabelecida e ser bem conhecida de qualquer cirurgião ortopédico, a verdade é que, desta vez, e ao contrário do que é habitual nestas situações, a equipa médica fez um diagnóstico terapeutico errado que resultou no fracasso total da operação. Em vez de uma abordagem intra-articular dos meniscos pelas designadas vias antero-interna e antero-externa em relação à rotula, com incisões na pele e cápsula articular, o cirurgião-chefe optou, inexplicavelmente, por uma terceira via – interna – que provocou a deterioração das áreas de cartilagem meniscal e a impossibilidade da redefinição de um novo bordo interno para o menisco, que assim ficará totalmente deformado e sem soluções de continuidade. Este erro primário, digno de um aluno fraquinho do 1º ano de Medicina, impediu que os pequenos fragmentos daí resultantes tivessem sido expulsos para o exterior através da cânula de drenagem e arrastados pela corrente constante de irrigação, e, mais grave ainda, impediu que a lavagem intra-articular e a respectiva montagem dos circuitos de drenagem tivessem sido executadas devidamente. Com esta sucessão de asneiras, a remodelação do menisco, a limpeza de algumas irregularidades e a libertação do retináculo externo não chegaram sequer a ser efectuadas, temendo-se agora que o avançado croata tenha que viver com uma sonda de palpação, uma pinça de menisco e um bisturi definitivamente alojados no seu joelho. Na prática, isto significa que Sokota corre o risco de nunca mais poder jogar futebol, ver ambas as pernas amputadas ou, até, na pior das hipóteses, ter que regressar ao Benfica.”
There are currently no comments.