Brutalidade.
Acho fabuloso chegar ao IMDB e deparar-me com uma nota de 5.2 a este filme. Mas depois percebe-se: Metade dos posts do fórum dedicado ao filme são deste tipo: “O filme é mau, porque não o percebi.” Ahhh, bela e típica mentalidade americana. Aparece-lhes um filme com uma plot mais complexa e Kaboom… não presta.

Enfim…

O filme é simplesmente genial. As inúmeras referências não explícitas à doutrina da Kabbalah podem ajudar a perceber o filme, mas a interpretação final não depende do conhecimento ou não dessa doutrina. As voltas e reviravoltas que o filme dá levam-nos a um final onde simplesmente se fca com a sensação que de final aquilo pouco tem, mas que não existe intenção de fazer sequela ao filme. A intenção é mesmo deixar pontas soltas, deixar pensamentos vagos. Guy Ritchie reinventou-se e levou com ele o sempre presente Jason Statham, que faz um papel simplesmente fabuloso.
Algo que me surpreendeu, e de que forma, foi ver Andre Benjamin (dos Outkast) a fazer um papelão de todo o tamanho… Ray Liotta está excelente e todos os outros fazem papéis secundários de bom nível.

Se esperam mais um Lock Stock ou um Snatch, desenganem-se. Isto é diferente. Muito diferente. Mas bom! Muito bom!

There are currently no comments.