Uncategorized

32 anos depois

32 anos depois:

  • Cavaco torna-se o primeiro Presidente da República Portuguesa desde o 25 de Abril a não honrar a memória do cravo no seu discurso na Assembleia da República.
  • Bancadas parlamentares do PSD e PP não aplaudem a memória dos Capitães de Abril em plena Assembleia da República.
  • Madeira não festeja o 25 de Abril por ordem de João Jardim.

32 anos depois, cospem no prato que lhes foi dado a comer.
32 anos depois, o fascismo de fachada da direita portuguesa, aquele que se sabe que ainda lá mora mas parece que todos têm medo de o afirmar abertamente, mostra aquilo que vale.

32 anos depois.07h30m

“Conforme tem sido transmitido as Forças Armadas desencadearam na madrugada de hoje uma série de acções com vista à libertação do país do regime que há longo tempo domina. Nos seus comunicados as Forças Armadas têm apelado para a não intervenção das forças Policiais com o objectivo de evitar derramamento de sangue. Embora este desejo se mantenha firme não se evitará responder decidida e implacavelmente a qualquer oposição que se venha a manifestar. Consciente que interpreta os verdadeiros sentimentos da nação o Movimento das Forças Armadas prosseguirá na sua acção libertadora e pede-se à população que se mantenha calma e se recolha às suas residências. VIVA PORTUGAL.”

2 thoughts on “32 anos depois”

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.