Eu sei que é pretencioso fazer copy/paste de posts de outros blogs, mas o portal pimba do Bruno Raposo (ou se preferirem: tino_de_rans) já nos habituou a grandes obras de arte… esta é apenas a mais recente, que aqui transcrevo parcialmente porque sou, incondicionalmente e tal como o Bruno, devoto a José Cid.

Parecia uma mentira do dia 1 de Abril, mas não, José Cid actuou mesmo no Cabaret Maxime neste fim de semana. O Portal Pimba esteve lá no dia 2, na data extra devido ao Sábado estar esgotado.

O auto-intitulado “mãe do rock português”, sozinho com o seu piano, em frente a uma plateia de perto de 400 pessoas, tocou os seus maiores êxitos com a ajuda do público, que desde cedo se mostrou participativo, cantando letras que muitos nem sabiam que conheciam, como se estivessem perdidas no seu subconsciente.
Num espectáculo com muitos momentos “jazzisticos” como o próprio lhes chamava, José Cid mostrou nos intervalos das suas canções porque é único em Portugal, relatando histórias e feitos de uma já longa carreira, contando o seu percurso na música, desde o Quarteto 111 até aos nossos dias.

O espectáculo durou sensivelmente 3 horas e meia, mais intervalo. Intervalo esse que aproveitei para que o José Cid me autografasse o meu cd “10000 Anos Entre Vénus e Marte”, tornando-o assim no meu cd mais precioso, a par do autografado pelo Leonel Nunes.Depois de 3 horas a cantar, José Cid abandonou o palco pela primeira vez, para trás tinham ficado muitos dos seus grandes êxitos. No entanto havia um que faltava, e o público começou a pedi-lo em unissono. “FAVAS, FAVAS, FAVAS!!!!” – gritava o público. José Cid nunca acedeu aos pedidos dos fãs, dizendo que essa era uma das piores músicas que tinha feito, exclamando: “não sei que piada vocês acham a essa puta de música!”. José Cid fez três “encores”, com o público já todo de pé, em perfeita histeria, cantando e saltando.

E agora o melhor… um vídeo gravado ao vivo…

Como o macaco gosta de banana…

Comments ( 6 )

  1. ReplyAnonymous
    Também é o único disco que eu tenho do José Cid. Delirante. Rock sinfónico do Alfodres-de-baixo. Assinado por ele? Compro!
    Só rir!
    É a primeira voz que te renuncio mas devo agradecer-te por um barrigada de riso agora e uma barrigada de riso mais sério quando vi o vídeo do Crossfire. Muito bom.
    até já
    pm
  2. ReplyPenulopes
    Quem nunca sonhou encontrar o El Rey D. Sebastião , 20 anos depois do ontem hoje e amanhã numa cabana junto à praia com a rosa que eu te dei e com a anita que não é bonita com a qual surgiu uma grande grande amor, a amar como jesus amou junto à lareira ... que atire a primeira pedra
  3. ReplyPaulo Costa
    Mas que grande medley... :D
  4. ReplyJC Barros
    Esta semana ele foi entrevistado na Prova Oral da Antena 3 e falou da emoção que sentiu ao actuar tantos anos depois para um multidão tão jovem como na Queima das Fitas do Porto. Estivemos lá!
    José Cid merece todo o reconhimento. Quando alguém fala mal dele, costumo trautear algumas músicas enquanto pergunto à pessoa se conhece. Geralmente a resposta é sim. "Então se ele é mau como é que tem tantos sucessos que até tu, que não gostas, conheces?" - acaba-se a discussão.
  5. Replytortilla
    Se o Rui Veloso é o pai do rock português...

    O José Cid é definitivamente a mãe.

    Grande homem.
  6. ReplyThe Minion
    É DEUS...