Há quem me diga que é hype, que são maus, que são isto e que são aquilo. A esses só digo que foi pena não terem estado ontem no Paradise Garage.

…os reis da noite estavam escolhidos antes do arranque dos concertos. Os Arctic Monkeys chegaram, disseram «evening!» e venceram. Recebidos com urros de entusiasmo, os quatro jovens abriram com ‘The View From The Afternoon’, cuja dinâmica de pára-arranca de imediato se tornou o convite ideal à participação dos fãs. Com todas as letras na ponta da língua, os espectadores libertaram a energia contida durante a actuação dos V5, saltando, fazendo mosh e mesmo crowd surfing. O soalho do Garage estremecia e, à medida que o concerto avançava, com ‘You Probably Couldn’t See’ ou ‘Perhaps Vampires Is A Bit Strong But’, tornava-se cada vez mais difícil ver o palco. Uma profusão de braços, camisolas voadoras e suor evaporado tapava a vista para os AM: uma banda visualmente discreta, pouco dada a conversas mas claramente rodada e conhecedora de alguns truques para cativar o público. Prolongando e interligando as canções, os AM instauraram o motim com ‘I Bet You Look Good On The Dancefloor’ e as excelentes ‘When The Sun Goes Down’ e ‘Fake Tales of San Francisco’, tendo esta gerado um dos coros espontâneos da noite e registado o segundo maior abalo no sismógrafo do Garage. No geral, a banda pode orgulhar-se de um concerto quase sem pontos mortos, em que as melodias mais divertidas (‘Mardi Bum’) se ligaram pacifica e frutuosamente com o andamento veloz de pândegas como ‘A Certain Romance’, que fechou a noite. Sem encore nem reticências, mas com a certeza de que, desta vez, a verve de narrador britânico não tocou apenas os súbditos de Sua Majestade.


Lia Pereira in Cotonete

E quem lá esteve? Quem foi? Quem? \o/

Comments ( 6 )

  1. Reply[r]
    Eu!! :P
  2. ReplyPaulo Costa
    Também... também... :P
  3. ReplyTino_de_Rans
    Hype
  4. ReplyJC Barros
    Isto e aquilo.
  5. ReplyJC Barros
    Isto e aquilo.
  6. ReplyBarras
    maus