Pessoalmente, sinto-me bem no lado esquerdo do muro, entre os meus, entre os que ainda sonham com um mundo mais justo, entre os que ainda guardam a flor maravilhosa da memória e não a deixam secar. Entre os que partilham a mais preciosa das obrigações morais e éticas, que diz: Nem esquecimento nem perdão!

Luis Sepúlveda, O General e o Juíz.

Comments ( 6 )

  1. ReplyMirogniewa Achleitner
    declaring that North Korea would boycott College in Bremerton, a bachelor of Park and Par-la-Ville Park. of $27 million to pro-Democratic groups youre new to this town or just looking
  2. ReplyPaulo Costa
    Estes comentários spam costumam ser irritantes e mal posso apago-os.

    Mas este de cima vou deixar estar... já vi coisas absurdas em comentários feitos por estes spam bots, mas esta é brutal. lol
  3. Replydream_brother
    é isso mm...estas palavras vão ficar guardadas!

    hasta!!!
  4. Replymitzrael
    Luís Sepúlveda, de vez em quando, escreve coisas bem acertadas.
  5. ReplyPaulo Costa
    De vez em quando??

    HEREGE!! HEREGE!! BLASFÉMIAS!!

    Luís Sepúlveda é somente o meu escritor preferido.
    A capacidade que ele tem de ser sintético, ao invés das literaturas novela (não falo aqui em nomes para que não se zanguem por eu abominar literatura de Eças e afins, etc...), é das coisas mas incríveis que já vi nalgum escritor.
    A maneira como ele consegue descrever apenas um detalhe em 3 palavras e assim conseguir transmitir ao leitor tudo o que é essencial sobre a cena.

    Ler Sepulveda e a seguir pegar num livro como os do Dan Brown, por exemplo, que vende em quantidades industriais e é muito mais conhecido e reconhecido, é um atentado ao gosto pela leitura. :|

    Luis Sepúlveda é deus!
  6. ReplyPaulo Costa
    De vez em quando??

    HEREGE!! HEREGE!! BLASFÉMIAS!!

    Luís Sepúlveda é somente o meu escritor preferido.
    A capacidade que ele tem de ser sintético, ao invés das literaturas novela (não falo aqui em nomes para que não se zanguem por eu abominar literatura de Eças e afins, etc...), é das coisas mas incríveis que já vi nalgum escritor.
    A maneira como ele consegue descrever apenas um detalhe em 3 palavras e assim conseguir transmitir ao leitor tudo o que é essencial sobre a cena.

    Ler Sepulveda e a seguir pegar num livro como os do Dan Brown, por exemplo, que vende em quantidades industriais e é muito mais conhecido e reconhecido, é um atentado ao gosto pela leitura. :|

    Luis Sepúlveda é deus!