Às voltas a ler blogs amigos, encontro uma passagem que me fez sorrir no Café Moído da Paula.

Se há discurso que me incomoda, é o discurso dos salazaristas de autocarro que geralmente se reconhecem pela tagline “No tempo do Salazar é que era!”. Há também os mais acutilantes que arriscam a dizer que “com a PIDE não havia nada disto”.

Já lá vai o tempo em que eu perdia uns minutos a dizer a quem profere tais palavras coisas como “Sabe, se o Salazar estivesse vivo e mandasse nisto, você nem sequer podia andar no autocarro a comentar política como o faz agora…”, ou qualquer outro tipo de argumento do mesmo nível intelectual da premissa que o provocasse. Agora já nem ligo. Farto-me de ouvir essas tiradas dignas do melhor espectáculo de stand-up comedy nos transportes públicos, invariavelmente proferidos por alguém que não inspira o mínimo de confiança logo ao primeiro olhar.

O crescimento das campanhas de angariação de membros para o PNR ou para a sua “filial não admitida publicamente”, a Frente Nacional, junto às escolas, também não me deixa por aí além preocupado. A ascensão de uma força de extrema direita num país é algo que só acontece num contexto muito específico (assim nos ensina a história, essa sábia professora). O nacional socialismo alemão, o mesmo que inspira os marretas da Frente Nacional, só teve expressão num contexto particular, com uma série de acontecimentos políticos e sociais que nascem do final da primeira guerra mundial e são “alimentados” pelo vergonhosamente mal esculpido tratado de Versalhes (ou, como Ferdinand Foch, marechal francês disse sobre o tratado: “Isto não é uma paz. É um armistício de 20 anos.“).

Mas estou a desviar-me do objectivo do post. A mensagem que pretendo transmitir é simples: o suposto crescimento da extrema direita em Portugal não me preocupa por aí além. A extrema direita sempre viveu/dependeu de massas frustradas, e essas vão e vem ciclicamente em democracia, aquando dos tempos de vacas gordas ou de apertar o cinto, respectivamente.
Quanto aos velhos dos autocarros, os mesmos que saudosamente recordam Salazar, a solução e o meu conselho são extremamente simples:

Comments ( 8 )

  1. ReplyHugo
    E ainda há aquele pormenorzinho da censura e manipulação da informação no tempo do Salazar que levava a que hoje haja quem acredite que nessa altura não havia roubos, assaltos a bancos, homicidios, etc etc. Enfim, é mesmo como diz o cartaz... podem ir ter com ele que não fazem cá falta.
  2. ReplyPaula
    THAT is a great pic to have on a t-shirt.
  3. ReplyEstaline
    Pois... felizmente HOJE EM DIA já se pode expressar opiniões em blogs deste tipo sem que ninguém nos censure por isso LOL =)
  4. ReplyZé Canivetes
    E presumo que esta merda de blog seja de um dos pobres coitados que chama "democrata" ao Álvaro Cunhal e/ou dos que só vêem o Estado Novo pela temática da PIDE...
    PCP - Dor de cotovelo desde 1975, merdosos desde 1921.
    Podia ser um ditador, mas que morreu sem gamanço (até algum merdas da FCSH ou do ISCTE inventar mais um capítulo da história Portuguesa desde 1926) e era um Homem hábil e extremamente inteligente, era. Muito superior a qualquer um desde o 25/04, tirando o Mário Soares (de que eu também não gosto) que, a par de Afonso Costa, é um dos três Políticos Portugueses do século XX. Os restantes, traidor incoerente (e felizmente morto) Cunhal e merda afim, jamais chegarão aos calcanhares destes 3, quer queiram quer não. E vocês como pensadores e cidadãos continuarão a ser mais uns carneirinhos do sistema capitalista esclavagista e opressor, berrando muito e fazendo desenhos à la puto emo de 16 anos, mas sem resultados práticos. Mantenham-se iludidos e enganados, o tal de sistema agradece.
  5. ReplyZé Canivetes
    E já agora, um ignorante armado em esquerdalho a chamar "frustradas" às massas???
    Já agora cortar-lhes o acesso às mesmas oportunidades que tu, seu merdas burguês...
    Para atrasados mentais como tu pelos vistos o povão só é bom e são quando vota na filial Portuguesa do Partido Comunista da Albânia (é o que me ocorre quando penso no PCP e o comparo ao que foi o PCI e o PCF, tentaram evoluir e foram papados coitados), quando vota na FN em França e no NPD na Alemanha já são todos uns javardos e tal. Mas pronto, eu dou-te desconto ó supa mosca, vives aí para os lados da aldeia-armada-em-Metrópole e tal, cidadezeca de merda que tem meia dúzia de pretos, uma mão cheia de lelos, dimitris, chinocas e monhês.
    Vem à Capital ver o desastre "multicultural" e depois talvez deixes de escrever imbecilidades típicas de meninos com uma lavagem cerebral nos cornos como tu.
    Como acéfalos como tu gostam de clichés da PIDE e tal, eu dou-te com este, bom para deixar carneiros como tu sem jeito: se o tal de Cunhal y su banda mariachi tivessem triunfado, provavelmente teríamos tido uma guerra civil, hoje o país ainda estaria em reconstrução, com "comissões de reconciliação" e se o PCP e associados tivessem vencido, descansa que se calhar também não se poderiam dizer coisas como as que escrevo, como as que esse gajos do autocarro dizem (mais sábios do que tu alguma vez serás, já que cais na armadilha burguesa de menosprezar aqueles que são mais vividos e experientes do que tu) e como as que tens aqui, com toda esta "música ianque" (sim filho, o Avante foi uma boa tentativa de disfarçarem o ódio pelo Rock'n'Roll) e pimba (aka popular alternativa) "machista e reaccionária".
    Os Nacionalistas vão ter uma palavra a dizer, cada vez mais importante, ao passo que bimbos como tu só vão sofrer com as tais de "massas". Tudo uma questão de tempo.
    Agora vai lá acreditar nas notícias e nos sionistas, com bom cãozinho ignorante burguês que és.

    Atenciosamente e respeitosamente,
    Zé Canivetes, Corecore Post-Wave Visionary
    Nacionalista
    Javardo
    Rock'n'Roller
  6. ReplyAnonymous
    Ciência Política é só para quem sabe, azeiteiro de merda.
  7. ReplyPaulo Costa
    E assim se vê a classe de uns e de outros. =)

    Muito obrigado.
  8. ReplyAnonymous
    Vá de atirar nomes ao ar.Salazar foi um grande homem.Patriota.Honesto.Mal ou bem,fez no melhor interesse do País,que andava organizadinho.
    E quando chegámos a 74 ficámos entregues a quem?
    Cunhal,Vasco Maluco,Vasco Lourenço,Almeida Santos(esse asqueroso que iniciou a tarefa de entregar as províncias ultramarinas aos pretos,com o lindo resultado),Mário Soares (outro...),e o resto da corja.
    Bardamerdas. Querem comparar esta súcia com os homens do Estado Novo? Vão curtir para a festa do Avante e não chateiem.