Aqui pode-se ler:

Cunha Leal, ex-director executivo da Liga, Adriano Afonso, presidente da Assembleia Geral, e Gilberto Madail, presidente da FPF, não foram poupados nas críticas de António Fiúza. O mesmo não sucedeu em relação a Valentim Loureiro, presidente da Liga e «pessoa isenta», no entender do presidente do Gil Vicente, que vai solicitar audiências ao primeiro-ministro e ao secretário de Estado do Desporto, no sentido de propor a demissão dos órgãos sociais da FPF.

E eu que até estou do lado do Gil no meio desta trapalhada…

Comment ( 1 )

  1. ReplyGomes
    Contra a fif(i)a marchar,marchar...
    Clubes (pobres) de futebol de todo o mundo uni-vos!