Grande trabalho de tradução do blog da Rua da Judiaria para um artigo do Maariv de 22 de Setembro de 2006. O texto original foi escrito por Ben Dror Yemini, um comentador de centro-esquerda segundo se pode ler no blog. Só esse facto (que parecerá estranho aqueles que acusam o judaísmo de se identificar com a direita, sem excepção) é de relevo porque demonstra o quão ridícula é a partidarização que se faz por cá de um assunto que não pode nem deve ser tão levianamente tratado. As questões levantadas são de uma relevância que não poderia ser atingida de outra forma senão apoliticamente.
Para ler e ponderar:

Facto número 1: Desde o estabelecimento do Estado de Israel, um genocídio cruel é perpetrado contra muçulmanos e árabes. Facto número 2: O conflito no Médio Oriente entre israelitas e árabes no seu todo, e contra os palestinianos em particular, é considerado o conflito central do mundo actual. Facto número 3: Segundo sondagens levadas a cabo na União Europeia, Israel é considerada “a maior ameaça à paz mundial”. Na Holanda, por exemplo, 74% da população defende este ponto de vista. Não o Irão. Não a Coreia do Norte. Israel.
A ligação entre estes factos criou a maior fraude dos nossos tempos: Israel é encarado como o país responsável por todas as calamidades, desgraças e sofrimentos. Representa um perigo à paz mundial, e não apenas para o mundo árabe ou islâmico.

There are currently no comments.