Desde que disse que tinha dado “um banho táctico” a Mourinho num jogo em que o Boavista não fez um remate à baliza do Porto que a classe de Jaime Pacheco ficou conhecida de todos… porrada, porrada e mais porrada: é essa a marca que gosta de incutir às equipas por onde passa.

Tenho pena dos Boavisteiros (e conheço alguns) porque eles não merecem passar por novo calvário com o Pacheco à frente da equipa, ainda para mais quando têm jogadores como Linz e Grzelak na equipa… jogadores bons (Linz é muito acima da média) capazes de, se lhes dessem a oportunidade de estar numa equipa virada para o ataque, fazer a diferença e levar o Boavista a um campeonato muito jeitoso.

Ontem ficou visto que este Boavista à Pacheco é apenas mediano, com um treinador mau e que percebe tanto de tácticas como o meu cão percebe de culinária. Atente-se nas declarações no final do jogo que podem ser lidas aqui:

Como devem calcular face à nossa classificação tive de manter um discurso coerente. Foi o que fiz. Mas a estratégia que apresentámos foi mais ousada do que o discurso, foi um 4x3x3 bastante ousado.”

E eu que podia jurar que o Boavista foi ao Dragão em 4-5-1 com o Zé Manel e o Grzelak a jogar mais como segundos defesas laterais do que como médios (ou avançados como queria convencer-nos o Jaime…).
Enfim… mas para aqueles que acham que eu estou a exagerar nas críticas às tácticas primitivas de porrada velha à Jaime Pacheco, acho que o seguinte artigo d’A Bola é elucidativo sobre o jogo de ontem:

«Derby» deixou marcas

O «derby» com o Boavista deixou marcas no plantel do FC Porto. Os azuis e brancos iniciaram, este domingo, a preparação do decisivo jogo de quarta-feira com o Arsenal, numa sessão que ficou marcada por várias ausências.

Helton (traumatismo na mão esquerda e uma ferida contusa na perna direita), Quaresma (traumatismo no joelho direito), Bosingwa (contusão no tornozelo direito) e Hélder Postiga (múltiplas feridas contusas nas pernas) ficaram entregues aos cuidados do departamento médico.

Depois admiram-se de as pessoas não irem ao estádio ver jogos… para ver pancadaria à Pacheco escolho a Sic Radical e o WWE.

Comments ( 12 )

  1. ReplyJC Barros
    Não é novidade nenhuma. Se uma pessoa estiver atenta e tiver um bocadinho de memória sabe que quando o Jaíme (É Jaime!) disse antes do jogo que o Boavista tinha de ser uma equipa coesa, interligada e lutadora na realidade isso significava "vamos jogar na retranca, porrada e depois logo se vê".

    De qualquer maneira, 5 pontinhos para o 2º classificado e vamos andando.

    :)
  2. ReplyPonto do Rectângulo
    Pancada, porrada, tareia, são a parte mais importante do limitadisimo léxico de Jaime Pacheco... Um homem que diz que o jogo na primeira parte foi equilibrado e faz um ou dois remates, se é que aquilo se podem chamar remates... Está tudo dito!!!
    Tou como tu, tenho pena dos boavisteiros, que tem uma aquipa com qualidade, e tem de passar por isto... Jesus nos valha!!! Que desperdicio de talentos...
    Quanto ao FCP, soma e segue... E tem uma coisa que não via desde o tempo do Mourinho.. A estrelinha da sorte, ou estrelinha de campeão como queiram chamar!!! E já vão cinco...
  3. ReplyHugo
    A sorte do Boavista é que este ano só descem 2 equipas... mas mesmo assim, fraquinhos como eles andam, que não tenham cuidado e ainda vão para a 2ª liga.
  4. ReplyAnonymous
    O mais chocante é ele vir falar do Raul Meireles que em tempos esteve no banco do Boavista porque um tal de Jaime Pacheco não o escolhia para titular. E depois vem dizer que "criou" o Raul Meireles.

    De notar que Raul Meireles, apesar de jogador do Boavista, aparenta possuir uma técnica invejável, bem ao contrário de outros tantos da escola pacheco. Se ele viesse dizer isso de Petit... mas falou de um Raul Meireles...

    Quanto à tatica que usa, é preciso ver que uma coisa é ter raça e vontade de vencer e outra bem diferente é "partir pernas" para ganhar jogos.
  5. ReplyFábio Santos
    Fartei-me de rir quando o "grande" Jaime disse: jogamos num 4-3-3 muito ousado!

    Eu a pensar que era um 4-5-1, em que os extremos, principalmente o Zé Manel, andavam a defender. Um dos trincos (o Kaz) quando a equipa defendia recuava quase para central.

    Mas o "grande" Jaime é que percebe.

    Deixo também aqui um agradecimento especial ao Khadim.
    Não só pelo belo golo que sofreu, mas por tudo o que fez durante o jogo, em especial as grandes saídas que tinha nos cantos e cruzamentos.
  6. ReplyHugors
    Eu fui ao Dragão ver o jogo! Sou 100% Portista, mas revolta-me o jogo que algumas equipas fazem e nomeadamente o Boavista. Foi incrivel a cacetada k aqueles gajos deram, foi incrivel mesmo a perderem por 2 não tentarem ser mais ousados. Percam por 2 ou por 3 ou 4 mas ao menos joguem à bola e não só às canelas. Jaime Pacheco faz mal ao futebol... Abraço e viva o FCP!!
  7. ReplyPantera cor de rosa
    Que moralistas da treta!!!

    no inicio de epoca tiraram o treinador ao boabista ( e não benham dizer que é coisa que não conta porque toda a gente falou do ano em que o porto teve 3 (?) treinadores, começou com 1 intaliano passou por 1 ispanhol e terminou com o couceiro)e o filme vcs já conhecem!!
    O SR JAIME luta com as armas que tem e aprendeu isso no Porto e com isso fez aquilo que nenhum outro treinador conseguiu (nem Mourinho) em Portugal ser campeão nacional fora dos 3 grandes (o Belenenses foi á tanto tempo que quase me esquecia)
  8. ReplyAnonymous
    ui... comparar Mourinho a Jaime Pacheco?
    Mourinho ganhou uma UEFA e uma liga dos Campeões seguidas! Se calhar só não ganhou um campeonato com o Leiria porque saiu de la a tempo!
  9. ReplyPantera cor de rosa
    Eu não comparei nada nem ninguem relatei um facto que nem tu nem ninguem pode contestar, e na verdade não o fizeste.
  10. Replydjkayori
    conseguiu ser campeao, e vdd. mas tens k admitir, a maioria dos jogos ganhos foram por 1-0. e foi campeao, pouco por merito proprio, mas pq os outros clubes m jogavam bem!
  11. ReplyFábio Santos
    E também foi campeão no ano em que os árbitros os favoreciam forte e feio.

    A quantidade de porrada que eles davam e nem amarelo levavam.

    Nunca me vou esquecer daquela mitica entrada (ou melhor, agressão) do Litos ao Romeu que resultou num lançamento de linha lateral.

    Já para não falar da quantidade de cafeina que circulava naquela balneário.
  12. ReplyPantera cor de rosa
    A cafeína tem limites e não foram ultrapassados... já o plafon para viagens ao Brasil ficou intacto o Calheiros não apareceu por lá...