Sem história. É certo que o Mónaco é sempre a prova com maior glamour do calendário, mas este ano pouco mais houve do que glamour e um domínio quase irreal da McLaren. Alonso e Hamilton conquistaram a primeira linha da grelha seguidos por um Massa que guiava um Ferrari bem distante da competitividade demonstrada nas primeiras corridas… Raikkonen, esse arruinou qualquer hipótese de um bom resultado quando partiu a direcção no início da segunda fase da qualificação.
Quanto ao resto do pelotão, boa qualificação e óptima corrida para o Fisi, que mais uma vez demonstrou que é um especialista no Mónaco. Boa qualificação para Liuzzi que deitou tudo a perder num despiste logo no início da corrida. E de resto… 0! 0 ultrapassagens durante toda a corrida. Nem uma para amostra.
E dessa letargia que a corrida provocou aproveitaram bem Alonso e Hamilton para fazer uma corrida exemplar. Bela vitória, totalmente incontestada.

Agora é esperar que no Canadá as coisas andem novamente mais equilibradas na frente, a bem do campeonato.


Comments ( 6 )

  1. ReplyMiguel Cabral
    Esta corrida fez lembrar aquelas há uns anos em que o Schumacher andava lá na frente e os outros todos cá para trás. A diferença é que desta vez é a McLaren e os seus pilotos. Por isso é que tu te queixas da corrida, se fosse o Schumizinho lá na frente era uma grande prova...
  2. ReplyPaulo Costa
    Eh pá, eu não consigo perceber isto. Alguma vez eu te disse, por exemplo, que o ano de 2002 foi um bom ano para a f1? Ver o MS a ganhar o campeonato praticamente a meio do calendário foi bom?

    Acabo de dizer que o Alonso e o Hamilton fizeram uma prova exemplar, querias que lhes fizesse uma estátua por terem feito desta corrida algo que não foi? 0 ultrapassagens em hora e meia, e querias que viesse cá dizer que foi excelente?

    Às vezes acho que gostas de criticar só por prazer... e essa de vires puxar o MS à conversa... enfim.

    A corrida foi do mais aborrecido possível, e nem o Papa me convence do contrário.
  3. ReplyAnonymous
    Os especialistas dizem que só grandes pilotos ganham no Monaco... consegues dizer o mesmo de Alonso?
  4. ReplyPaulo Costa
    Não é por ganhar no Mónaco que Alonso é um grande piloto. Ele é um grande piloto por tudo o que faz num campeonato, ou não fosse bi-campeão mundial.

    É que, pela ordem de ideias dos "especialistas", o Frentzen e o Panis são dois dos grandes pilotos da última década, ou não tivessem eles ganho no Mónaco. Às vezes as frases feitas desses ditos "especialistas" não fazem assim tanto sentido. ;)
  5. ReplyAnonymous
    Plenamente de acordo!
    Reconheço que a minha pergunta era traiçoeira mas tu não andas nisto á dois dias.
    No entanto devo dizer que as nossas transmissões de F1 eram muito boas, os meus primos "avecs" ficavam bem impressionados com os relatos/comentários dos especialistas e também com as poucas interrupções para pub.
  6. ReplyPaulo Costa
    Os nossos comentadores tem uma grande vantagem sobre os comentadores de países como a França, Espanha, Inglaterra, Alemanha ou Itália: têm muito mais facilidade em ser isentos, já que infelizmente não vamos tendo ninguém a lutar pelos primeiros lugares. Os comentadores ingleses da ITV (já tive a (in)felicidade de ouvir uma corrida com os comentários do James Allen) são a pior coisa que existe desde a retirada do Murray Walker (que cometia gaffes atrás de gaffes, mas que era o primeiro a rir-se delas). Para os comentadores ingleses (e pela corrida que ouvi no ano passado) o Button é deus ao volante... os próprios ingleses que conheço de fóruns de f1 me dizem que é insuportável ouvir o homem. Imagino que este ano com o Hamilton ainda seja pior.
    Eu gosto do José Miguel Barros a comentar. É certo que vai cometendo umas gralhas aqui e ali, mas no geral acho-o bastante conhecedor dos pilotos e das equipas, e tem estado bem acompanhado por pilotos e ex-pilotos que dão, obviamente, um toque diferente à corrida, com comentários de quem sabe bem o que se passa na cabeça dos pilotos que lá estão durante aquela hora e meia ao volante.

    Quanto à publicidade, eu também sempre me queixei que cá se faziam intervalos a mais, e longos demais. Até que vi uma transmissão do canal Speed norte-americano e em 50 minutos de qualificação vi uns 35 de publicidade. Acho que a Rai Uno (nos velhos tempos em que se apanhava Rai Uno em sinal aberto na parabólica) transmite sem (ou quase sem) intervalos a corrida, mas deve ser mesmo caso raro.