Há pouco mais de 10 anitos apareceu um senhor alemão de seu nome Uwe Scmidt, na altura conhecido como Atom, DJ e produtor de música electrónica, que se lembrou de criar algo diferente, bastante diferente. E que tal pegar nalguma música latina, juntar-lhe uns quantos samples, uma orquestra de músicos latinos e divertirem-se à grande?
E assim nasceu Señor Coconut. Estreou-se em 97 com um álbum chamado El Gran Baile e dois anos depois lembrou-se de fazer algo ainda mais estranho: e que tal pegar em músicas dos Kraftwerk e transformar os ritmos electrónicos em ritmos latinos? E assim nasceu em 99 o El baile Alemán. Desde aí a crítica tem-se rendido por completo aos seus trabalhos em estúdio e às suas actuações em palco com a Yellow Magic Orchestra. Não faltam versões de Michael Jackson, Sade, Deep Purple e até dos The Doors no reportório deste malabarista das maracas.
Deixo-vos aqui três musiquinhas para apreciarem, e se vos der jeito apareçam no sábado por Sines, no festival de músicas do mundo, para onde parto amanhã ao fim da tarde na companhia deste senhor e respectivas patroas para no sábado dar uns toques de cha-cha-cha na praia depois de ouvir também no Castelo os Gogol Bordello de que falei uns posts mais abaixo.


Comments ( 3 )

  1. Replyplaneta Claudiano
    Gogol Bordello foi inesquecivel, numa noite perfeita e Senor Coconut continuou a festa e lá se ficou a dançar na praia até ás sete da manhã.
  2. Replygoogle-eyed
    Ao contrário do que se disse no Jornal de Noticias, Señor Coconut, não foi nem de longe, nem de perto uma tremenda seca. Foi sim um tremendo espectáculo, isto para quem aprecia boa música, salsa, merengue, e uns cocos que lá andavam. Mas como em tudo, quando surge a massificação perdesse a essência.

    De dizer que Gogol Bordelo foi arrepiante, fiquei literalmente abasordido, com a massa de corpos agitando-se freneticamente.
  3. Replygoogle-eyed
    Ao contrário do que se disse no Jornal de Noticias, Señor Coconut, não foi nem de longe, nem de perto uma tremenda seca. Foi sim um tremendo espectáculo, isto para quem aprecia boa música, salsa, merengue, e uns cocos que lá andavam. Mas como em tudo, quando surge a massificação perdesse a essência.

    De dizer que Gogol Bordelo foi arrepiante, fiquei literalmente abasordido, com a massa de corpos agitando-se freneticamente.