Existe uma espécie de imbecis que me causa algum asco particular. São eles o tipo de imbecis que ontem durante a tarde entraram numa propriedade privada em Silves para destruir um hectare de milho transgénico de uma plantação legal da qual vivia uma família. E fizeram-no porque segundo eles o milho transgénico produz um pólen tóxico que afectaria as plantações vizinhas e causaria “graves” problemas ambientais. Ok, não vou entrar pelo caminho de pedir um único estudo com peer-review que o prove em vez do simples argumento “se é transgénico tem alterações genéticas, já houve quem falasse diso, faz mal e é obra do demónio”, coisa que até agora ninguém me mostrou. Vou antes perguntar o porquê daquela cambada de imbecis não ter sido presa na hora visto terem entrado em propriedade privada para destruir algo que estava, quer se goste quer não se goste, legal e vistoriada pela Direcção-Geral da Protecção das Culturas.

Porque eu também tenho preocupações ambientais, porque o meu presente e futuro a médio prazo também passa pelas energias renováveis, porque eu já compreendi (tal como parece que grande parte da nossa população parece já estar a compreender também) que pequenos gestos como a separação dos lixos, a poupança energética através da alteração de alguns maus hábitos que fomos todos criando ao longo de muitos anos, o uso de produtos livres de CFCs, a poupança no consumo desenfreado de água que até há pouco tempo nos parecia algo perfeitamente natural, esses sim são os passos que cada um pode tomar na luta pelo ambiente, tal como defendem as agências e entidades ambientalistas responsáveis. Invadir uma propriedade privada, encapuçados e de cara tapada, para ceifar todo um hectare de milho legal (nunca é demais repetir) que era o sustento de uma família inteira é pura e simplesmente estupidez, e mais do que isso: cobardia. Porque nenhum teve o discernimento suficiente para perceber que o mal está em quem legaliza este tipo de plantação (se é que há realmente motivos para a considerar perigosa em algum aspecto).

Mas não me admira muito que este tipo de imbecis seja capaz de tomar atitudes destas. Estamos a falar da mesma espécie de imbecis há 15 anos atrás empunhava os primeiros cartazes anti-globalização enquanto vestia umas Levis e calçava umas all-star. Estamos a falar da mesma espécie de imbecis que se revolta em frente aos professores porque não quer alinhar na marcha da carneirada capitalista mas que quando sai das aulas telefona do seu Nokia de 3ª geração ao colega para combinar uma jogatana na Playstation. Estamos a falar, neste caso concreto, da espécie de imbecis que após ir destruir um campo de milho transgénico se sente realizada e prepara os festejos fumando meia bolota cagadinha no dia anterior.

E isto leva-me a uma concluir aqui algo que já por várias vezes comentei com amigos meus: Se conseguíssemos pegar numa amostra de 100 destes imbecis e a acompanhássemos por uns 10/15 anos – para uma altura em que todos eles já tenham que ter alguma (mesmo que mínima) responsabilidade – desses 100 vamos ter 10 que estão tão “queimadinhos” que nem para caso de estudo servem. E teríamos o prazer de ver os outros 90 a olhar esses mesmos 10/15 anos para trás e a sentir uma tremenda vergonha da figurinha triste que andaram a fazer.

E antes que me acusem de ser extremista e estereotipar o tipo de manifestantes em causa deixo-vos aqui o último parágrafo da notícia do Público:

Bruno Martins, uma das pessoas que assistiu à acção de protesto, considerou ser “errado defender assim uma causa”.

“Isto não é para ser discutido na praça pública. Tem de ser no Ministério da Agricultura e no Governo. É uma acção errada. Nem sabem defender uma causa porque vêm para aqui fumar e com telemóveis“, disse à Lusa.


Comments ( 6 )

  1. Replyplaneta Claudiano
    Tiraste-me as palavras da boca.
  2. Replypedro
    Excelente post.
    Assisti ontem,ou anteontem,não tenho a certeza,pelos meios de comunicação social,à verdadeira vergonha que foi o acto de vandalismo que foi a destruição da plantação de milho transgénico!!Parece que vivemos num país de terceiro mundo!Gostava de saber se os autores dessa imbecilidade,se tivessem um familiar propietário dessa mesma plantação,se agiriam da mesma maneira?!O que mais me surpreendeu foi a atitude passiva da GNR...foram uns autênticos fantoches!!Que vergonha,este acto de vandalismo,não passou disso mesmo,se essa reportagem passar nos meios de comunicação estrangeiros,o que hão-de pensar??!!Cambada de imbecis!
    Parabéns pelo post caro Paulo.
  3. Replyjeremix
    Não passam de uma cambada de hippies que fumaram tanta ganza que se esqueceram da parte do 'peace&love'.
    Esta gente deveria ver um pouco o que faz a GreenPeace, que apesar de não concordar com todas as campanhas deles, não recorrem à destruição de seja o que for (que eu saiba...).
    Eu cá não gosto destes gajos, pelo que, segundo o raciocínio deles, não deverá haver problema se lhes decidir destruir a cara.
  4. Replynuno leão
    bolas... assim é dificil. Não deixas muito espaço para a gente acrescentar algo. Mas ainda assim eu arrisco. Vamos juntar-nos e dar-lhes nas trombas pq o fumo do cigarro deles é prejudicial para a nossa saúde?
  5. ReplyUm imbecil com uma causa
    Uau, mas que bela amostra de superioridade demonstram aqui os ditos "correctos" e entendidos.
    Regurgita-se imbecilidade de facto..mas é mais para estes lados.
  6. ReplyUm imbecil com uma causa
    Uau, mas que bela amostra de superioridade demonstram aqui os ditos "correctos" e entendidos.
    Regurgita-se imbecilidade de facto..mas é mais para estes lados.