coisas do caraças música

FMM 2007 @ Sines

Um belo escaldão na cara (já esfola por todo o lado), um restaurante entre Porto Covo e Sines onde se comiam bons pregos por volta da meia noite e nos entretínhamos a contar baratas e até havia quem as prendesse debaixo do copo de cerveja em cima da mesa, deitar às 5 e acordar às 9 da matina com o sol a bater forte e feio na tenda fazendo com que todos os santos poros do corpo escorressem àgua, a esplanada do Mar de Rock em Porto Covo onde aterramos durante umas boas horas da tarde de sábado, Señor Coconut e os inesquecíveis Gogol Bordello.
Foi bom.

Señor Coconut entrou em palco já bastante tarde, por volta das 3 da manhã, e demorou a conseguir a agarrar o público. Ajudaram o cansaço e a desconfiança perante uma série de artistas de fatinho e gravata a tocar ritmos latinos. Mas com o passar das músicas conseguiu contagiar quem lá estava e não houve quem não desse uns toques de dança. As versões dos Doors, Deep Purple e principalmente as dos Kraftwerk não deixaram estar ninguém quieto. Grandes músicos, todos eles, grandes músicas e ritmos contagiantes. Se o concerto tivesse sido por volta da meia e não depois dos Bordello então teria sido ouro sobre azul e as críticas que se leram nos jornais teriam sido completamente diferentes. E para o Felgueiras o que interessava era ter os cocos na mão (literalmente… espero que alguém tenha tirado fotos disso).

Gogol Bordello… bem, eu ia à espera de um grande concerto… não fazia ideia do que esperava os milhares que se enfiaram como sardinhas em lata dentro do Castelo. Simplesmente inesquecível. Mais de duas horas em que não se conseguiu parar quieto durante um segundo. O fogo de artifício e as labaredas “enÓrmes” (onde é que já ouvi isto?) que nasciam por detrás do palco sincronizadoas com a “Not a crime” logo à segunda música deixaram todos de boca aberta e com a percepção que estavam ali para ver um daqueles concertos que não se apagam da memória.
Foram mais de duas horas (perto de duas horas e meia) com o vocalista -Eugene Hütz- a mostrar que estes meninos têm tudo para se tornar uma banda de referência neste início de século XXI -se é que já não o são-.
A melhor descrição que ouvi veio da Carmen que nos disse “Parecem piratas acabados de sair do barco”.

Enquanto espero que o senhor dos cocos passe as fotos e vídeos para o seu PC, ficam aqui três curtinhas dos Gogol em palco: a música de entrada -Ultimate-, um vídeo da “Not a crime” onde se pode ver o fogo e a multidão que encheu o castelo, e ainda um vídeo “aos saltos” durante a “Harem in Tuscany” que abriu o primeiro encore que terminou com um “loop” de uns bons 10 minutos “a rasgar” com todos os elementos da banda a dar o litro. Eu fiquei com a sensação de que o concerto ia acabar quando um deles tombasse para o lado…

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=Bg6ENoGNBbk]

Não devo poder ir a Paredes de Coura rever os Bordello, mas quem tiver oportunidade de ir que não a perca. Este concerto fica-me gravado como um dos melhores a que tive oportunidade de assistir. Está lá em cima, bem coladinho ao de Arcade Fire em PdC 2005.

7 thoughts on “FMM 2007 @ Sines”

  1. Não foi bom, foi muuuuuuito bom! E eu gostei de senor coconut a seguir a Bordelo porque ajudou a que não parássemos dançar… até ás sete! Gostava de rever Bordello em Paredes, mas como o vocalista Eugene disse que vem viver para Lisboa… cá espero por um concerto :)

  2. Eu fiquei à porta, porque umas amigas minhas em vez de me comprarem o bilhete resolveram ir para a praia. Desde esse dia ainda não lhes falei, e não sei quando isso irá voltar a acontecer… Com este teu relato não vai ser assim tão depressa.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.