Já se pode ler no autosport o documento com as provas que levaram à condenação da McLaren “equipa” mas não aos pilotos.
E para quem quer uma versão reduzida e traduzida de alguns elementos é possível ler aqui no record de hoje.

A 25 de Março, De la Rosa envia um email a Alonso com as informações de distribuição de peso dos carros da Ferrari para o GP da Austrália.

O bicampeão responde: “Esta distribuição de peso surpreende-me. Não sei se é 100% por cento fiável, mas pelo menos chama a atenção.”

Segue-se a resposta de de la Rosa: “Toda a informação da Ferrari é muito fiável. Veio de Nigel Stepney, antigo mecânico-chefe deles. Ele é a mesma pessoa que nos disse na Austrália que Kimi (Raikkonen) iria parar na volta 18. Ele é muito amigo do Mike Coughlan, nosso designer-chefe, e disse-lhe isso.”

Agora alguém me diga como é que é possível deixar que os pilotos saiam completamente impunes disto. É inacreditável. E entre Hamilton e Alonso vai-se decidir o campeão do mundo deste ano… assim vai a F1.


Comments ( 2 )

  1. Replyricardo
    Realmente. Ainda ontem o Domingos Piedade dizia, no Telejornal da RTP2, que castigar apenas o Construtor - e não os pilotos - não faz sentido nenhum. E até deu o exemplo do Corta-Mato, onde também só interessa o nome do atleta que ganha e não a classificação das equipas (ou dos países).
    E 100 milhões de dólares é 1/5 do orçamento da McLaren. Faz-lhes alguma falta mas não é nenhum drama.
  2. ReplyJC Barros
    Basta ler isso para ver o carinho e a amizade que existe entre essas pessoas. Condenar um sentimento tão nobre como esse e tão em falta nos nosso dias é que me parece errado.