Faz-me uma certa confusão ler acerca do Second Life como o novo oásis da web, como o porto de abrigo para quem se quer reconhecer internauta.
Eu mal tenho tempo para uma vida que não me passa pela cabeça arranjar uma segunda, ainda para mais a feijões. Mas tudo bem, há quem tenha tempo, invejo-os.
Mas mete-me confusão ver artigos semanais em jornais de tiragem nacional, artigos com honras de pertencer às crónicas sobre a web, em que se descreve a bela arte de desperdiçar horas a brincar ao faz de conta e sobretudo como essas horas são sinónimo de evolução, de visão de futuro, de adaptação à realidade do século XXI e onde os “avatares” como gostam de lhes chamar são a representação de um indivíduo.
Não me quilhem, não são.

Nunca andei pelo second life, nem sequer tenho conta naquilo, mas cheguei a ter curiosidade em entrar no Habbo (aquela coisa que funciona como um hotel onde as pessoas andam pelos corredores a perguntar à boa moda do velhinho IRC, “a/s/l ?”). Acho que se estive lá meia hora foi muito.
Volto a dizer que não conheço o second life, mas posso dizer que conheço o tipo de personagens que lá habita. O mesmo tipo de personagens capazes de passar 12 horas por dia em frente ao pc a perseguir monstros enquanto, por chat, vão confraternizando e fazendo amizades com alguém que associam a um cavaleiro de armadura de resistência de nível 20, montado num cavalo com asas e que cospe ácido.

Agora pergunto eu: qual é o objectivo? Ter uma segunda vida onde se pode ser aquilo que queremos ser e não aquilo que na realidade somos? Ena! Portanto, vamos mesmo todos acreditar que aquele boneco com um belo par de mamas e rabo perfeitamente moldado em forma de meia lua é capaz de nos satisfazer. Vamos todos acreditar que se no second life alguém anda num carrinho todo pipi esse alguém é portanto uma pessoa de respeitável posição social. Sim, vamos todos acreditar.

Em vez disso dou uma sugestão: largar essa treta e aproveitar o tempo que se ganha. Digo eu, na minha visão tacanha e mesquinha -ou pelo menos assim dizem esses maravilhosos colunistas da tiragem nacional que se fartam de criticar quem não vê no second life a oportunidade de construir um mundo melhor- que era capaz de ser tempo melhor aproveitado, nem que fosse para pegar num livro, ouvir um cd sentadinho no sofá a relaxar ou ir ao café onde estão pessoas de carne e osso que não te dizem “brb” quando querem ir mijar.

E eu adoro perder tempo na net quando o consigo arranjar. Se se ganhasse dinheiro por cada inutilidade que se descobre em sites e blogues que não lembram ao diabo já era milionário. Absorvo informação a partir da net, participo em fóruns de discussão variados desde desporto a conversa da treta, participo/jogo em fantasy leagues de basquetebol americano, jogo em simuladores de gestão de equipas F1 online, tenho um blogue, farto-me de ver vídeos no youtube e afins e à custa disso deito-me às tantas e de manhã ando sempre de olheiras mas para além de saber que isso não faz de mim um gajo mais “século XXI” nem mais culto em linguagem binário também não ando a escrever por aí que quem não o faz é porque não tem visão de futuro.

Isto tudo para dizer que me fartei de rir quando vi esta notícia:

Que culpa tem o puto de existir gente capaz de gastar dinheiro real para ter neste tipo de tretas. Móveis imaginários mais bonitos que o gajo do computador ao lado e pagos com dinheiro real? Era dar-lhe uma palmadinha nas costas do puto, um piscar de olho e dizer-lhe que merecia uma estátua por andar a gozar com tansos.

Por fim, e para quem arranjar uns minutos e tiver vontade de lêr uma pérola em inglês, dêem um saltinho aqui e vejam o que um dos meninos que faz os cartoons Cyanide and Hapiness escreve acerca da sua viagem ao mundo do Habbo, onde andou a recrutar pessoal para fazer umas violações online. Vale a pena.


Comments ( 4 )

  1. ReplyNuno
    Digo o mesmo.
    Este "jogo" é uma grande treta.

    Eu cheguei a experimentar também e digo, não estive sequer uma hora lá.
    Fartei-me, desinstalei. Desnecessário...


    PS:
    Jogos de gestão de equipas de fórmula 1?

    Onde arranjo?
    Qual a sua opinião? (alguns nomes)
  2. ReplyPaulo Costa
    O que mais tenho jogado é o http://www.f1competition.com/. Basta ir lá 5 minutos de 3 em 3 dias.

    O que mais gosto, que tem mil e uma pequenas opções mas que obriga a perder uns 10 minutos por dia é o http://batracer.com/-gL

    Mas cuidado com o vício! ;)
  3. ReplyDelvanzan
    A mim parece-me que a vida que vivemos é que poderia chamar-se de second life ou 3th, 4th,... Acho que estamos a ser controlados por outros seres, nós é que somos os seus Avatares.
  4. ReplyMarco
    Delvanzan: esse foi o comentário mais estúpido e esquizofrénico que eu já li na blogosfera não-política. Adorei! :P