Coffee Brake

Alicia Witt

fotografia
0 Comments

Coffee Brake

É de aproveitar que a noite está calminha (e aqui o Nuno está a fazer a maior parte do trabalho) para satisfazer os pedidos do Arlindo (z8 nos comentários) e meter aqui alguma coisa que regale a vista e faça com que o Nuno não se importe de eu andar aqui de volta dos plugins do wordpress.

E não me lixes pá, isto é melhor que um screenshot do Debian.

Alicia Witt

Alicia Witt

F1/fotografia/música
2 Comments

Há aí lugar para mais um?

A F1, se é que ainda se pode chamar F1 àquele desporto, anda uma bagunça. É no que dá ter dois tipos como o Mosley e o Ecclestone à tomar decisões. E a procissão ainda vai no adro visto que para o ano querem fazer daquilo um campeonato de carrinhos de rolamentos.

Por mim, que já não acordo de madrugada para ver corridas e até me esqueço delas como já aconteceu este ano, tanto me faz.

Mas que isto é uma foto brutal, lá isso é. E que só podia ter sido tirada no Mónaco, isso só.monaco

Foto: BBCSports

Roxette – Sleeping in my car

fotografia/música/NBA
6 Comments

Eu não gosto de Hip Hop ou R&B. Mas…

À custa do bombardeamento de anúncios “Where amazing happens que acontece a cada timeout ou intervalo de jogo na NBA, levei com tamanha lavagem cerebral que dei por mim a cantar a Amazing de Kanye West durante os últimos dias.

O pior de tudo é que me parece que até estou realmente a gostar da música.

E como os Orlando lá foram a Boston, ao mítico Garden arrear uma carga de lenha brutal aos Celtics em pleno jogo 7 das meias finais de conferência, e eu até ando bem disposto por causa disso, tomem lá:

D12

Dwight Howard sem dó nem piedade para com o Glen “Big Baby” Davis – Foto: Yahoo Sports

Kanye West – Amazing

coisas do caraças/fotografia
4 Comments

As putricas sobre o Douro

De volta de um dia em cheio na Red Bull Air Race, ou como a descreveu o Jaime : “Aquilo que nós vamos descrever aos nossos netos como “A primeira vez que vimos abionetes a fazer putricas em cima do rio Douro, metidos no silbado e com o sol a comer-nos a pinha.” “.
Depois escolho as melhores fotos e um ou outro vídeo e meto por cá -para além da que meto abaixo- e desde já fica a admiração (é mesmo a sério) por quem conseguiu passar umas 8 horas em pé, junto ao rio em qualquer uma das margens e sem se poder mexer durante a maior parte do tempo, tal qual sardinhas em lata. Nós que saltamos muros do lado de Gaia para invadir a a propriedade privada do “senhor Croft” e que ficamos debaixo das árvores já achamos complicado suportar o calor, quanto mais quem se aventurou realmente pela marginal…

Ah, e quem não sabe o que são “putricas” que não fique a pensar que a palavra existe mesmo. São cambalhotas à boa maneira de se dizer por aqui.
fotografia/música
1 Comment

Tatuagens de Montreal

Os Of Montreal são uma banda que não é de Montreal. Acho que isto deve ser a primeira coisa que devem ficar a saber. A segunda é que até fazem umas coisas engraçadas. Então porque raio é que estes tipos se chamam Of Montreal? Porque, pelos vistos, um dos fundadores desta banda da cidade de Atenas no estado da Georgia (EUA) cresceu com uma ama que tinha uma tatuagem na perna com essa mesma inscrição. E quem somos nós para achar isso estranho?

Mas falando das músicas que estes senhores fazem, e já as fazem desde meados da década de 90, confesso que só fiquei a conhecer há coisa de uns mesitos, por altura em que me chegou às mãos o álbum Hissing fauna, are you the destroyer?. E demorei a ouvir o álbum com atenção, mas agora que o faço acho que já lhe devia ter prestado atenção há bem mais tempo. E para quem ainda não conhece, ficam aqui com a Gronlandic Edit. E como podem reparar pela amostra, a estes senhores já não lhes basta ter um nome de banda estranho como ainda fazem questão de dar nomes tão ou mais estranhos às músicas.