Futebol/Futebol
2 Comments

Antes vs Depois

À partida para o Canadá, Madaíl repara que é preciso que os jovens portugueses «saibam honrar a camisola da Selecção» e que «saibam ganhar, mas também que saibam perder», avisa o líder federativo. Quanto às expectativas para a participação portuguesa no Mundial, não há objectivos mínimos definidos, até depois de o torneio de Toulon ter corrido tão mal e de Portugal ter falhado todas as metas a que se tinha proposto no Europeu de sub-21 na Holanda.

Madaíl repara que Portugal «é das poucas Selecções apuradas para o Mundial de sub-20 que também esteve no Europeu de sub-21 e vai também ao Europeu de sub-19». Por isso, é preciso colocar a equipa «a esse nível, com ambição de fazer uma boa campanha», aponta simplesmente o presidente da FPF.

Depois:
Mas há que compreender o Zéquinha. O rapaz deve ter pensado que “ladrão que rouba ladrão tem 100 anos de perdão”. Só faltou a parte de estarmos realmente a sermos roubados.
Ou melhor, até estavamos mas não pelo árbitro. Eu sou da opinião que os dirigentes da FPF responsáveis por meter o homem que desgraçou o Alverca e Belenenses, que deu a machadada final numa das piores épocas de que há memória no FCP dos últimos 20 anos e que conseguiu ter a coragem de dizer que a vergonha que foi a participação no europeu de sub-21 há um mês atrás foi “positiva”, esses sim, essa gente capaz de escolher o Coveiro a seleccionador das camadas jovens é que roubou indecentemente Portugal. Diria mesmo que mais do que roubar, foi como se lhe tivesse tirado os três sem avisar e não tenha deixado um número de telefone na mesinha de cabeceira na manhã seguinte.

__
PS: Pronto, aproveitando uma das novas mariquices que o Blogger oferece criei ali de lado uma sondagem que fica durante uma semana por cá e que servirá para tirar de uma vez por todas as dúvidas sobre qual o maior deus do futebol nacional dos últimos anos.

F1/F1
1 Comment

Mais vale tarde que nunca

A corrida já lá vai, mas ainda assim acho que se vai a tempo dizer umas coisitas rápidas:
  • Ao contrário do que foi repetido exaustivamente na Sporttv, não creio que de um momento para o outro a Ferrari tenha ganho supremacia sobre a McLaren. Creio, isso sim, que a pista de Magny-Cours é favorável aos carros italianos e às suas características (maior distância entre eixos, por exemplo). Em Silverstone já me parece que vamos ter as duas equipas muito iguais. Assim como me pareceu que se estava a sobrevalorizar a vantagem da McLaren em relação à Ferrari nas corridas no continente americano também me parece pouco sensato dizer que no espaço de 8 dias a Ferrari conseguiu recuperar meio segundo de atraso em relação à equipa inglesa e ainda a ultrapassou por outro meio segundo. Cada pista é diferente da anterior e os detalhes de cada carro e de cada prova são o que fazem a real diferença entre as equipas.
  • Hamilton fez o que pôde, Alonso fez mais do que pôde. Mas foi bonito (e talvez a única coisa de interesse real na corrida) ver as suas lutas com Heidfeld e Fisichella. Com o Heidfeld conseguiu mesmo uma ultrapassagem ao fim de umas quantas voltas de tentativas, mas foi uma ultrapassagem que lhe valeu umas belas reprimendas por parte dos outros pilotos do “debriefing” final do fim de semana. Enquanto que os nossos comentadores elogiavam a ultrapassagem, por fora num dos “S” rápidos da parte interior do circuito, eu só pensava que se Heidfeld não tem cortado a chicane e seguido em frente tinha havido ali um problema jeitoso. E pelos vistos os outros pilotos também acharam o mesmo para terem ficado furiosos com o espanhol. Se ninguém passa ali por algum motivo é e o Alonso devia saber isso muito bem. Ainda assim, pela corrida emotiva que fez e pelo ritmo que demonstrou quando estava “livre” de pilotos mais lentos, acho que merecia um lugar mais alto na classificação final.
  • O Kimi decidiu não beber antes da corrida e acabou por se sair bem. Foi da maneira que pôde beber no fim (a maneira como ele se agarra à garrafa de champanhe no pódio até assusta).
  • Os Honda lá fizeram um pontinho. Já podem ir para casa descansados.
  • Se o realizador francês se dignasse a filmar o pelotão que seguia lá para trás a corrida era capaz de ter tido bastante mais interesse.
Este fim de semana há mais.

_____

Agora uma coisa gira para aqueles que gostam de acusar a Ferrari de ao longo dos anos ter sido constantemente beneficiada pela FIA, de fazer “batotas”, etc…

Resumidamente: a McLaren fazia (até agora) espionagem e sabotagem na Ferrari através de subornos a um dos seus engenheiros principais. Ok, se fosse a Ferrari a fazer isso cairia o Carmo e a Trindade, como é a McLaren não vejo indignação em lado nenhum. É… parece-me bem.

F1/F1
3 Comments

Indianapolis, a afirmação.

E tal como se previa, a Mclaren fez mais uma dobradinha com Hamilton a vencer o seu segundo grande prémio do campeonato afastando-se ainda mais do Fernando Alonso no mundial de pilotos e mostrando assim que é o piloto com mais condições de lutar pelo 1º lugar no final.

A Ferrari voltou a desiludir apesar de ter sido bonito ver naquelas ultimas voltas o Kimi e o Massa a disputarem o 3º lugar voltando também o Kimi a desiludir e a ficar mais uma vez atrás do seu companheiro de equipa, confirmam assim que nem vale a pena pensar que vão fazer alguma coisa este ano…
Kovalainen que está a sentir o seu lugar na equipa em risco, depois de uma boa qualificação em 6º conseguiu terminar a corrida em 5º á frente do Fisichella que terminou em 9º.
Webber conseguiu levar o seu monolugar até ao fim em 7º, Coultard desistiu na primeira volta devido a problemas no carro.
Nick Heidfeld depois de mais uma boa qualificação em 5º lugar e de estar a fazer uma boa corrida abandonou com problemas hidráulicos enquanto Vettel que substituiu Kubica conseguiu um ponto para a BMW ficando em 8º lugar.
Trulli conseguiu arrancar e cortar a meta em 6º lugar enquanto que Ralf Schumacher mostra que é tal e qual o irmão e nem deu uma volta.
Mais uma vez a Super Aguri-Honda a ficar á frente da Honda com Davidson em 11º á frente de Button, os respectivos companheiros não terminaram.

Fica a tabela com os resultados finais da corrida e do mundial de pilotos:
Mundial de Pilotos:

F1/F1
1 Comment

GP Indianápolis

Creio que não há muito a dizer senão que Hamilton confirma que é um fora de série, que o Alonso vai ter que suar muito para lhe recuperar o atraso que já leva no mundial, que os Ferrari terão que suar ainda mais para recuperar o atraso que levam em relação aos McLaren, que o Ralf Schumacher continua a esquecer-se de travar na primeira curva, que o Sato é o Banzai lá do grupo, que os Aguri continuam a fazer os Honda parecer ridículos e que os Spyker são os carro-vassoura.
E com isto já vão uns quantos posts seguidos sobre F1 aqui no blog, por isso este é curto e em breve já se mete aqui outras coisas para não continuar a afugentar a clientela. O Miguel é gajo de fazer um post mais completo.
F1/F1
1 Comment

Parabéns Lamy e Barbosa

Um dos momentos mais altos de sempre do automobilismo nacional: João Barbosa em 4º e Pedro Lamy no pódium de Le Mans. Parabéns pelo brilhante segundo lugar. Para o ano trazes o caneco.

(O Lamy é o que está a cheirar a taça para confirmar que não é uma imitação)
F1/F1
4 Comments

Grande Prémio de Indianapolis, qualificação.


E cá temos mais uma vez a McLaren no topo para a largada do Grande Prémio de Indianapolis. E mais uma vez também temos Hamilton mais rápido do que Alonso, depois de Alonso vencer em todas as sessões de treinos.
Kovaleinen fez também um bom resultado, sexta posição para ver se mostra à equipa que merece o lugar.
Vamos a ver o que nos espera a corrida de amanhã.

Miguel Cabral

F1/F1
9 Comments

Tira teimas pt2

Miguel, há coisas que não fazem sentido, e uma delas é comparar a asa que a Ferrari usa desde o início da época de 2006 com a nova asa da McLaren. E porquê? Porque como podes ver aqui:

A asa da Ferrari (tal como de outras equipas como podes ver aqui: Red Bull ; Super Aguri ; Toro Rosso ; Williams, etc etc… ) tem um elemento superior preso ao cone do carro. E isso é totalmente permitido pelas regras (sempre foi). Aliás, como podes reparar pela foto que aqui colocaste, a asa frontal do Ferrari de 2007 tem um elemento bastante mais fino que o do ano passado porque se chegou à conclusão que esse elemento superior provocava uma carga demasiada sobre os pneus frontais que assim se desgastavam muito rapidamente. Outra coisa é teres isto:

onde tens uma asa completa e não um elemento preso ao cone. O problema desta segunda asa é simples e nem precisas de ter doutoramento em aerodinâmica para perceber que a não ser que seja feito de cimento, dobra. E isso é totalmente ilegal e mais que visível na imagem (que podem ver em tamanho original aqui e que foi retirada deste blog).
Aliás, e já que é para tirar teimas, explica-me porque é que a FIA multou a Ferrari por, no último ano, a sua asa da frente ter um dos elementos que não estava totalmente preso ao cone do carro e portanto dobrava, fazendo isto:

No entanto parece que esqueceu totalmente de verificar que nos Renaults, como no do senhor Alonso, o elemento posterior da asa frontal tinha este comportamento em recta:

Oh diabo, parece que dobra… pois… 2 pesos, duas medidas.

Portanto, recapitulemos: A Ferrari teve o elemento superior da asa frontal preso com a folga que se vê na imagem e foi multada e obrigada a prender o mesmo sem folga ao cone porque as regras não permitem que o elemento dobre. A Renault teve a asa a dobrar como visto na imagem durante o ano todo e a FIA diz que é perfeitamente legal. A McLaren tem duas asas na frente, uma delas tem um elemento que atravessa toda a frente do carro sem estar sequer perto do cone, dobrando tal como as imagens mostram e a FIA diz que está tudo bem.

Ok, volta lá a dizer que teimas é que querias tirar?

F1/F1
0 Comments

Tira teimas…

Será que só o que a McLaren usa é aberração ou as outras equipas também gostam de usar aberrações?
Será assim tão grande a diferença??


Vamos lá a ver se assim, como a Ferrari também usa uma segunda asa, a FIA permita…

Miguel Cabral

F1/F1
0 Comments

Canadá= F1 + Street Fighter + Nunca digas Banzai

No meio de tanto azar há sempre quem tenha sorte. Kubica experimentou os dois lados da faca… azar pelo toque na traseira do Toyota de Trulli que causou o embate a cerca de 300km/h num muro de cimento (podem tirar o vídeo com óptima qualidade daqui) e sorte por só ter tido um pé meio deslocado.
Sorte também tiveram alguns pilotos como Wurz que arriscaram uma estratégia de uma paragem que seria impraticável numa corrida “normal”, mas com tantos safety-car (muito pneu poupado, muita gasolina poupada) em pista acabaram por conseguir levar os carros até ao fim… aliás, os safety-car andaram tanto tempo às voltas na pista que o habitual Mercedes conduzido por Maylander teve que reabastecer dando lugar a um Honda branco por umas voltas.

Mas falando da corrida e dos pilotos (quase um a um):

  • Hamilton: perfeito. Se dúvidas ainda havia, ficaram desfeitas. É um fenómeno.
  • Alonso: Atacou, atacou, atacou… e como quem ataca assim tanto costuma dar-se mal, teve alguns erros (quase sempre na primeira curva) que lhe foram custando posições (a pior acabou por ser a paragem quando não era permitido. Desconcentração da equipa e piloto). No fim foi protagonista com Sato de um momento caricato. Foi ultrapassado pelo Japonês da Super Aguri. E se me fartei de rir com o momento também sou o primeiro a reconhecer que o Alonso não podia ter feito absolutamente mais nada naquela situação porque os seus pneus super-macios já tinham perdido toda a aderência umas quantas voltas antes. Isso foi notório quando a cerca de 6 voltas do fim, e enquanto atacava Raikonnen, começou a rodar cerca de dois segundos mais lento do que fizera até então. Ao Sato bastou aproveitar o facto de na saída das curvas o McLaren não ter qualquer tipo de aderência e tracção.
  • Massa e Fisichela: Estavam a fazer tudo bem até se esquecerem de parar num semáforo. Literalmente. Não os desculpando também há que dizer que os comissários de pista tinham o vermelho ligado na saída das boxes por razão absolutamente nenhuma… e os pilotos simplesmente saíram das suas boxes como em qualquer outra paragem. Resumindo: estupidez da FIA, completa estupidez dos pilotos que têm que ter em atenção os semáforos.
  • Wurz: Certinho, certinho, certinho… “olha, estou em terceiro”.
  • Kovalainen: Quando não se põe a inventar no carro e não se espeta em muros é gajo para conseguir fazer uns resultados engraçados.
  • Rosberg: andava bem até às entradas dos Safety-car. Foi prejudicado com isso e acabou bem lá para trás. Merecia mais.
  • Heidfeld: Perfeito.
  • Kubica: Um carro com o patrocínio da Intel está sempre a postos para “crashar”.
  • Trulli: O meu herói da corrida: fartou-se de me fazer rir. Consegue fazer um belo 360º na primeira curva sem ninguém lhe tocar, entra nas boxes com as boxes fechadas e acaba por se despistar à saída delas num acidente que fica para a história. De 0 a 20 leva um 2 por entretenimento.
  • Button: lol
  • Barrichelo: Ouvi dizer que andava por lá.
  • Webber: Gosto do Webber, é um gajo que come a relva em campo se for preciso. E quando não está em campo e está numa pista não há problema, farta-se de ir à relva à mesma. Mas estava a fazer uma boa corrida, com bastantes ultrapassagens e foi muito prejudicado com os timings de entrada dos safety-car em pista. Merecia uns pontos.
  • Coulthard: Ouvi dizer que andava a fazer companhia ao Barrichelo.
  • Ralf S. : Quem?
  • Albers e Sutil: Conseguir-se espetar na mesma curva, com uns 2 segundos de intervalo entre eles é obra.
  • Os Toro Rosso: Andam ali a atrapalhar os outros.
  • Raikonnen: Provavelmente estava de ressaca. Ou começa a acertar o passo ou arrisca-se a ouvir críticas de todos os lados.
  • Sato: Deixei-o para último porque o homem fez gato sapato do carro, conseguiu um sexto lugar e porque quero que vejam bem o vídeo da tv japonesa a transmitir o momento. Reparem como eles transformam uma corrida de fórmula 1 num misto de Street Fighter com o saudoso Nunca digas Banzai.
Fora isso, foi provavelmente a melhor corrida do ano. Houve de praticamente tudo e como o Kubica está fino e já diz que é gajo de querer correr nos EUA (vais ter sorte, vais), a coisa acabou por correr bem.
F1/F1
0 Comments

GP do Canadá

Esta corrida foi especial por vários motivos.
Primeiro porque tivemos um piloto estreante esta época a vencer uma corrida depois de ter feito a pole na qualificação e conseguindo assim ficar com o 1º lugar no mundial de pilotos isolado. A corrida teve várias interrupções por entradas do safety-car e isso alterou de alguma forma aquela que podia ter sido a classificação geral. De qualquer forma, é de salientar a supremacia de Lewis Hamilton durante toda a prova.
Heidfeld conseguiu também um brilhante 2º lugar depois de ver o seu companheiro de equipa Robert Kubica ir pro hospital na sequência de um estrondoso acidente que deixou toda a gente preocupada com o seu estado de saúde, felizmente o piloto apenas teve uma entorse num dos tornozelos(quem viu o acidente sabe porque é que eu disse “apenas”).
Outro dos pontos altos da corrida foi a ultrapassagem do Sato ao Alonso, que depois de um brilhante 11ºlugar na qualificação conseguiu terminar a corrida em 6ºlugar, mais uma vez a Super Aguri a mostrar à equipa oficial da Honda como se obtém um bom resultado mesmo com um carro inferior e com muito menos orçamento.
Apesar de no site www.formula1.com estarem a fazer um inquérito de qual foi o piloto da corrida entre o Hamilton o Heidfeld e o Wurz aquele que eu considero ter feito a corrida mais notável foi Heikki Kovaleinen que partiu da ultima posição e acabou num fantástico 4º lugar e a deixar a impressão que acabava no pódio se a corrida tivesse mais meia dúzia de voltas. Ainda há bastante para dizer desta que foi uma das melhores corridas deste ano, mas deixo isso para o Paulo… Fica o quadro da qualificação e dos resultados finais da corrida.
Corrida:
Miguel Cabral