inutilidades/inutilidades
0 Comments

1000V – 250J

Mais tarde ou mais cedo lá me tinha que dar o bichinho de voltar a escrever aqui qualquer coisa. Eu sabia perfeitamente isso e como tal pouco ou nada me importei de ver isto a ganhar teia e bicharada nos cantos como aconteceu durante o tempo que o Bisca esteve ligado à máquina . Só dava sinais de vida quando o rei fazia anos e fazia-o quase contrariado. Foram algumas largas semanas sem sequer abrir qualquer blogue. Que me desculpem o Bitaites, o 9-9, o Arioplano, o Café Moído e todos os outros responsáveis pela falta de vida que fui tendo ao longo de uns quantos meses, os mesmos meses que viram isto ter vida.
Agora a coisa muda de figura por duas razões:
– tenho vontade de escrever aqui.
– não tenho grande tempo para isso.
Por isso vou é ver se aproveito o tempo que consigo passar em casa a coçar a bela tomatada para fazer coisas decentes aqui em vez de simplesmente alimentar a micose.

Mas para já vou passar uns dias fora e sem net (acho eu). Vou só ver se aproveito antes de sair para escrever qualquer coisinha.

inutilidades/inutilidades
0 Comments

Forecast

É só para avisar a navegação que o tempo para o fim de semana afinal não dá chuva e frio ao contrário do que dizem as más línguas. Podem estar descansados os que passaram o ano à espera das Sebastianas. Podia estar mais quente e podem caír umas gotas aqui e ali, mas a gente remedeia isso.

tempo

 

PS: este post serve única e exclusivamente para avisar que estou vivo e para fazer serviço de comunidade aos Freamundenses.

Futebol/inutilidades/Futebol/inutilidades
2 Comments

Só uma perguntinha

Sou só eu que acho incrivelmente irritante o facto de todos os jogos do Euro na TVI terem um atraso do som em relação à imagem de dois segundos? Um gajo cai ao chão, vê-se o árbitro levar o apito à boca e passados dois segundos é que se ouve o apito.

Pior é quando há uma jogada de perigo e se ouve aquele “ohhhh” do público já quando o guarda-redes está a preparar o pontapé de baliza.

Será que o som já vem assim da Áustria/Suiça, será que o sinal que chega de lá já trás som e vídeo combinados e não dá para meter um atraso na imagem para sincronizar a coisa?

Shôres da TVI, vejam lá se desenrascam qualquer coisa. É que é mesmo irritante.

 

Ah, e esta Rússia já devia estar a dar uns 4 à Holanda.

inutilidades/inutilidades
4 Comments

Afinal não é ditador…

Eventualmente por pressão do presidente madeirense, evita as críticas públicas das oposições aos 30 anos de governo chefiado por Alberto João Jardim.joaojardim
“Eu acho bem não haver uma sessão solene, acho que era dar uma péssima imagem da Madeira mostrar o bando de loucos que está dentro da Assembleia Legislativa”, justificou Jardim no sábado. “Eu cá não apresento aquela gente a ninguém”, reforçou. E concluiu: “Acho que isso ia ter repercussões negativas no turismo e na própria qualidade do ambiente”.

“Eu acho bem não haver uma sessão solene, acho que era dar uma péssima imagem da Madeira mostrar o bando de loucos que está dentro da Assembleia Legislativa”, afirmou Jardim, referindo-se a deputados da oposição como “o fascista do PND, o padre Egdar (do PCP)” e “aqueles tipos do PS”.

in Público

 

… é só deficiente mental. Estou muito mais descansado.

inutilidades/inutilidades
4 Comments

Penicheiro por duas noites

Fui passar o ano a Peniche, ou como me fartei de chamar por lá, “Penisse” ou ainda “Pénickse”. E foi porreiro.

A cidade é catita, bonita até embora algo suja, tem aquela pinta indisfarçável de cidade piscatória, não dispensa a existência de azulejos com motivos relacionados com o mar por cima de todas as portas das casas mais pequenas e mais juntas à praia, está repleta de pequenas residenciais e tem o taxista mais simpático e impecável de que tenho memória, ou não tivesse ele metido José Malhoa aos berros para se cantar enquanto se fazia a viagem para a praia às 2 e tal da manhã.
E como em qualquer cidade portuguesa que se preze encontram-se algumas pérolas tipicamente nacionais. Ainda pensei falar aqui do restaurante chinês Leão d’Oiro que afinal era loja dos 300 e que tinha um alpendre completamente aberto mas onde estavam duas belas portas de vidro do lado direito fechadas à chave não fossem os bandidos pensar em entrar pela porta da frente já que entrar pelas “janelas” é coisa para gente maluquinha.Mas prefiro destacar uma oferta de serviços que me deixou maravilhado. Numa rotunda repleta de escritórios de edifícios de trabalho (oftalmologistas, oculistas, arquitectos, duas solicitadoras diferentes em portas consecutivas, etc) encontrei uma placa que aposto que se encontra ali desde os tempos da outra senhora. A escolha de palavras encontrada para anunciar o serviço praticado é simplesmente bela, directa e eficaz. E é digna de figurar entre profissões de honra praticadas no século XVIII:É sempre agradável saber que na maternidade Alfredo da Costa existe uma senhora que não gosta de dizer que é ginecologista e por isso prefere que lhe chamem médica para as doenças das senhoras.
E dedico esta foto ao Paulo Filipe que lá trabalha.

Ah, e não vale fazer piadas fáceis com o que está escrito na placa de baixo.